Buscar

Notícias

25-05-2019

Categoria: Santuário

O Santuário da Lapa também é Mariano

Muitas pessoas conhecem o Santuário da Lapa pela grandiosa romaria, sua riqueza em religiosidade popular e por ser um dos poucos Santuários Católicos no planeta dentro de um morro.

Além de ser dedicado ao Bom Jesus da Lapa, desde a sua fundação foi devotado à Mãe do Senhor. Por falta de registros antigos, ficou no esquecimento esta preciosidade.  Poucas pessoas entre religiosos e leigos sabem que este Santuário além de Cristocêntrico, também é Mariano.

Graças à intercessão de Maria, Deus quis fazer do português Francisco de Mendonça Mar (Pe. Francisco da Soledade) o primeiro romeiro e, por consequência, o fundador da Igreja da Lapa. Depois de sofrer uma grande injustiça, esse jovem passou a refletir sua vida com o auxílio da Virgem Santíssima.

“Era esse moço muito devoto de Nossa Senhora... Este dando-se aos tratos, e comércios do mundo, e ajuntando algum cabedal se viu em grandes perigos de sua salvação... ela o favoreceu, e lhe alcançou de Deus luz para conhecer os enganos do mundo; e assim se resolveu a deixa-lo, e retirar-se a alguma parte, aonde fugindo ao trato dos homens se pudesse empregar no serviço de Deus” (Santuário Mariano).

Com este santo impulso, com um Santo Crucifixo e uma Imagem da Virgem Maria Mãe de Deus, saindo de Salvador/BA, foi penetrando os sertões. Não satisfeito de alguns lugares, o livro História da América Portuguesa, primeira história do Brasil publicada, relata que ele estava destinado, escolhido por Deus, para uma grande missão neste belo lugar.

Encontrando a gruta, em 1691, passou a viver na companhia de Jesus e Maria neste lugar que foi transformado num Santuário devotado aos dois títulos, como relata o livro Santuário Mariano:  “Erigiram aquele Templo, que a natureza havia fabricado, em Capela, ou Igreja com o título de Bom Jesus (da Lapa), e de nossa Senhora da Soledade.” 

Confirmando a narração acima, o livro Desagravos do Brasil e Glórias de Pernambuco descreve sobre a criação do Santuário com o consentimento do arcebispo da época: “Alguns anos depois tendo o Arcebispo da Bahia D. Sebastião Monteiro da Vide, notícia deste prodígio da natureza erigiu em capela a lapa, com a Invocação do Bom Jesus, e com o título de Senhora da Soledade.” 

O Santuário correu um grande risco de perder importantes descrições de sua origem. Graças ao Monsenhor Turíbio (1894-1969), antigo capelão da Lapa, em suas pesquisas, encontrou fontes seguras nos livros: Santuário Mariano e História das Imagens Milagrosas de N. Senhora, Frei Agostinho Santa Maria, editado em Lisboa, Portugal, ano 1722; História da América Portuguesa, Sebastião da Rocha Pitta, editado em Lisboa, Portugal, ano 1730; Desagravos do Brasil e Glórias de Pernambuco, Dom Domingos Loreto Couto (Beneditino), ano 1757. Além disso, encontra-se pequenos relatos em outros livros.

Para finalizar, Rocha Pitta recorda que as pessoas buscavam o auxílio da Senhora pelos muitos milagres realizados por meio de sua intercessão ao Bom Jesus na vida dos sofredores.  Não deixe de suplicar à Rainha do Santuário, Ela vai alcançar maravilhas para você.

Eventos

Campanha

Espiritualidade

×

Próximo
evento: